NOVIDADES

Todas as coisas são puras


Para ler ao som de Cut the World
Antony & The Johnsons 

Todas as coisas são puras para os puros. Tito 1:15


Ouvindo a música Cut the World da banda Antony & The Jhonsons (que curto de montão), fiquei pensando o quanto o mundo pode  fazer  a gente se ferir o tempo todo através de relações totalmente desiguais. E isso não se trata de mimimi. Tanto que há momentos que talvez o único jeito de conseguirmos sobreviver é cortar as relações com o mundo. Alguns podem agir de modo violento, como acontece no videoclipe da canção, outros de modo pacífico como um Gandhi. Neste um mundo, cada vez, mais cheio de conexões, de redes, de interações, a gente pode ficar vez refém de desejos e sonhos que não são nossos. Enquanto pensava nestas viagens de nos ferirmos pelo mundo me veio a mente a imagem da serpente do livro O Pequeno Príncipe, personagem principal do livro homônimo de Antoine de Saint-Exupéry, que é um livro belíssimo. (Muitos o amam e outros tantos o odeiam). Eu me incluo no grupo dos que amam esta fábula. Quando o Pequeno Príncipe foge das exigências da rosa e chega ao deserto do Saara, após viajar por vários planetas, encontra com a serpente. E começam a conversar e durante a conversa a serpente deixa claro o que pode fazer:

O principezinho sorriu
- Tu não és tão poderosa assim ... Não tens sequer umas patas ... Não poder sequer viajar ...
- Eu posso levar-te mais longe que um navio, disse a serpente.
Ela enrolou-se na perninha do príncipe, como um bracelete de ouro:
- Aquele que eu toco, eu o devolvo à terra de onde veio, continuou a serpente. Mas tu és puro. Tu vens de uma estrela...

Saint-Exupéry, A. O Pequeno Príncipe. Editora Agir


Assim é a vida, assim pode ser o mundo. A serpente que culturalmente está associada ao pecado, ao mal. Pode ser a possibilidade de nos libertarmos da prisão de muitas relações que vivemos. Nos pode levar de volta a terra de onde nascemos. O conhecimento do que nos fere pode nos expulsar de um paraíso aparente. Podemos escolher viver em absoluta resignação ou como na canção de Antony & the Jhonsons "vamos nos virar e cortar o mundo?"