Menu

Advertência: Cenas de Nudez


Arte não termina no primeiro olhar...

A crônica desta semana dará voz ao meu querido amigo Jésus Guilherme Moreira Filho, artista plástico, que comentará questões levantadas pelas manifestações contra algumas exposições e perfomances nas últimas semanas  e que, provavelmente, continuarão a ser debatidas. O que é ótimo para a democracia, para a arte e a sociedade. Censurar que não é democrático, como nos alertará Jésus. Suas palavras me ajudaram a entender as polêmicas destes episódios e acredito que gostarão também das reflexões que estão muito além da primeira impressão.

"Cruzando Jesus Cristo com o Deus Shiva", obra de Fernando Baril, 1996

Queermuseu

O banco Santander deveria ter sido firme e ter continuado a exposição até a data prevista e não cair nessa onda de ceder à pressão de gente que não é da área e não sabe do que está falando. E outra questão: em relação à pedofilia, à zoofilia não tem nada a ver. São obras que tratam, muitas das vezes, de situações de dominação, de religião, de poder. E por mostrar situações que remetem a essas situações não quer dizer que o artista está fazendo apologia. Você tem que conhecer o contexto de criação do artista.
A história da arte é carregada por sexo nas obras de artes até nas religiosas.
A obra Leda e o Cisne que vários artistas refizeram, por exemplo. Eles estavam fazendo apologia à zoofilia? Não. Eles estavam falando de mitologia.

Leda e o Cisne, por Michelangelo (esta obra não estava na exposição. É do século XVI)


A arte moderna nunca é de leitura superficial. Exige um pouco mais de quem está vendo.
E outra coisa: censurar jamais. A arte tem de ter liberdade. Talvez, faltou cautela ao museu.
O museu deveria ter cautela ao apresentar obras como estas, como muitos museus têm, mas proibir jamais.

É negativo associar questões polêmicas à homossexualidade?



Faz a sociedade pensar sobre estas questões. Quanto mais se fala sobre o assunto mais é desmistificado.
Quem vê as obras não a associa à homossexualidade a certas práticas. Pelo contrário como a obra de Adriana Varejão que trata da dominação pelo sexo.

Cena do Interior II


Perfomance X Crianças


A perfomance não era para criança. Foi uma situação que a mãe se sentiu segura em levar a criança que foi filmada e divulgada de forma descontextualizada. Se o pai acha adequado levar, leve. Eu acho muito bom levar porque criança precisa aprender a diferença do corpo feminino do corpo masculino. É preciso desmistificar. Agora você não pode esconder da criança que existe sexualidade. Falar sobre não é incentivar. Está  prevenindo e até educando de uma forma que ela possa se defender.


Performance La Bête, de Wagner Schwartz, no MAM

Construa você mesmo sua Capela Sistina


A Arte trata de questões relacionadas ao dia a dia. Também à religião, ao poder e ao sexo. O poder está ligado ao sexo. Já era esperada essa reação fundamentalista. O intuito dessas manifestações é perseguir minorias com a desculpa de que aquilo é pervertido.
Ele usa muitas imagens religiosas. E as pessoas ficam chocadas com ele usar essas imagens que não é nenhuma novidade.
A imagem de Jesus já foi retratada de várias maneiras: de cabelos loiros, de olhos azuis, na Europa. E foi muito questionada.
O questionamento é o caminho natural da cultura. Não vejo nada de agressivo a religião do outro. É um questionamento aos seus símbolos, à sua cultura.

Mas as imagens de Jesus, da cruz não pertencem a nenhuma religião específica. São imagens da nossa cultura cristã. Me assusta muito que não é nada de novo esse questionamento.  Pessoas que não frequentam museus, que não entendem nada de arte constranger quem vai. Se não quer ver, não vai.



Uma das obras de Pedro Moraleida que está na exposição no Palácio das Artes, BH